Multiverso

Por Susana Guardado


"Enquanto o sonho é o jogo do homem individual com o real, a arte do artista (em sentido lato) é o jogo com o sonho."

Nietzsche

A paisagem como epiderme da cidade e a relação com essa proposição, nos dá a percepção da nossa Natureza construída como experiência sensível.

É da simbiose do indivíduo com o natural-universal que a série fotográfica Multiverso, propõe gerar composições visuais centradas na imagem do corpo a partir da experiência do sublime face ao território.

São fotografias em preto e branco de corpos e elementos que ocupam a paisagem buscando a beleza dos movimentos em harmonia com o que os rodeia. 

O ensaio fotográfico nasce de experimentações com artistas convidados por Marcelo Carrera e João Pacca inseridos na natureza , em lugares que servem como portais entre natureza e urbano.

É na sua transposição que cada individuo, a seu tempo, sobe a esse palco natural e se deixa entregar, procurando perceber o corpo em todos os seus sentidos.

As imagens nascem desse encontro que pretendem pensar a experiência sutil entre o corpo e o ambiente de dentro para fora e vice-versa, seus limites ou a ausência deles.

Estamos diante da imagem-força da cidade do Rio de Janeiro, nos conduzindo para um olhar que não é somente o exercício desse sentido, mas sim uma produção de sua significação, uma matriz de experiências de espaço e de tempo.

Paus, pedras, caminhos como no verso da canção, a natureza em potência rompe a temporalidade, juntos com os corpos fotografados trazem um entendimento da figura atenta a proposições de modelos de vivência instintiva, determinando a abertura para o mundo da experiência do belo e do sublime - um lugar na fronteira do sonho e da existência, onde o homem e natureza se reconciliam. A cada imagem se abrem possibilidades para o lugar da contemplação, num jogo com os limites do tempo, em que experiência de contemplar está no “tempo” do sonho.

Nas paisagens e nos retratos há expressões de nossos sonhos e medos, de nossos segredos e desterros, de nossas esperanças e nossos dramas. 

Multiverso é uma experimentação que nos leva para além da imagem, é a transfiguração do físico no simbólico.

São retratos na paisagem natural, que se tornam portadores de representações explícitas e/ou implícitas de um modo de ser e de estar no mundo.

É a experiência concreta do viver com o outro, plena de vida e, por isso, a pele que em todos seus sentidos exprime a nossa diversidade e pluralidade.